X

Banco de Objetos de Metrologia BOM

O Banco de Objetos de Metrologia (BOM) foi desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM) a partir de financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio do Programa Sul-Americano de Apoio às Atividades de Cooperação em Ciência e Tecnologia – PROSUL.

O BOM contempla diferentes tipos de recursos educacionais e informacionais, produzidos de acordo com objetivos de aprendizagem específicos e que podem ser acessados publicamente ou utilizados por instituições de ensino em suas ofertas de capacitação, em particular em disciplinas correlatas à metrologia.

Um recurso educacional ou objeto de aprendizagem, para fins de organização e tratamento do acervo, é entendido como um documento digital que pode ser utilizado no contexto do ensino-aprendizagem.

Considerando essas características, o BOM foi desenvolvido para preservar e tornar pública a produção de conhecimento sobre metrologia e temas tangenciais ou transversais, como avaliação da conformidade, acreditação, propriedade industrial, propriedade intelectual, normalização e gestão da qualidade.

Em paralelo ao desenvolvimento do repositório digital também foi desenvolvido o vocabulário controlado sobre metrologia, avaliação da conformidade e normalização com o objetivo de padronizar o processo de indexação e busca de informações no BOM. Tematres

Também está disponível um Laboratório Virtual de Metrologia contendo objetos de aprendizagem para comporem o conjunto de experimentos.


Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/2050011876/1114
Acervo: Produção científica
Title: Avaliação do impacto no resultado das medições de volume pela alteração de parâmetros da norma ISO 8655
Other Titles: Evaluation of the impact on volume measurement results by altering parameters of standard ISO 8655
Authors: Sampaio, Bruno Sanches
Tipo de Objeto: Dissertação
Pais: Brasil
Lingua: Português (Brasil)
Instituicao: Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia (INMETRO)
Descricao Fisica: 154 f. : ilustrado
Issue Date: 2014
Other Identifiers: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1124354
Termos de Uso: É permitida a reprodução deste texto e os dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reprodução para fins comerciais são proibidas.
Area Tematica: Metrologia científica e aplicada
Calibração
Metrologia química
Metrologia
metadata.dc.subject.decs: Metrologia
Metrologia científica e aplicada
Metrologia química
Instrumento de medição
Medição
Calibração
Instrumento de medição
Palavras-chave: Medição de volumes
Micropipeta
Micropipette
ISO 8655-6
Abstract: As micropipetas são instrumentos destinados à medição de pequenos volumes de líquidos, em geral da ordem de microlitro. Dada sua importância em setores da economia, tais como o farmacêutico, o petroquímico e o médico, a calibração de micropipetas mostra-se fundamental para a garantia de resultados confiáveis em medições de pequenos volumes. A norma ISO 8655-6:2002, Piston-operated volumetric apparatus - Part 6: Gravimetric methods for the determination of measurement error, define o método gravimétrico como aquele a ser utilizado para o uso de instrumentos operados por pistão, entre eles, as micropipetas de deslocamento de ar. Nesse contexto, a metodologia de uso determinada por essa norma foi denominada de metodologia normalizada. Durante a utilização de micropipetas, é comum a observação de desvios do procedimento estabelecido pela metodologia normalizada e estes erros podem levar a resultados de volume inexatos. No presente trabalho, pretende-se determinar quantitativamente os efeitos de erros comuns cometidos, durante a aplicação da referida metodologia normalizada, no resultado da medição de volume utilizando micropipetas de deslocamento de ar. Por meio dos dados obtidos no presente estudo, será possível determinar os parâmetros que mais afetam o resultado das medições de volume de modo a aperfeiçoar o treinamento de técnicos na utilização e na calibração de micropipetas. Através da metodologia normalizada, foram testadas 7 micropipetas comerciais de deslocamento de ar. O volume a ser testado foi o de 100 µL onde, 11 repetições foram realizadas em cada medição. Cada instrumento foi estudado apenas no volume de 100 µL, segundo a metodologia normalizada. Em seguida, aplicou-se a variação de um parâmetro da metodologia citada. Após isto, realizou-se uma nova medição para o volume de 100 µL. Os resultados de volume e as respectivas incertezas de medição foram comparados para cada variação de parâmetro. O trabalho foi dividido em duas etapas. Na primeira, utilizaram-se apenas dois instrumentos de fabricantes diferentes para o estudo dos seguintes parâmetros: profundidade de imersão da ponteira no momento da aspiração do líquido, inclinação da micropipeta durante a aspiração do fluido de teste, influência da utilização de luvas de pano pelo técnico, influência da evaporação da água durante a medição, variação no resultado de medição realizada entre manipuladores com diferentes níveis de treinamento. Após a análise dos resultados das medições de volume da primeira etapa, que identificou os parâmetros mais significativos, iniciou-se a segunda etapa com seis micropipetas, de cinco diferentes fabricantes. As variações estudadas na segunda etapa foram: inclinação da micropipeta durante a aspiração do fluido de teste, a utilização de luvas de pano pelo técnico durante a medição, a realização de medições com manipuladores de diferentes níveis de treinamento e a utilização da cubeta do sistema de saturação de umidade sem os outros componentes do sistema. Os resultados apresentados comparam as medições obtidas através da metodologia normalizada com aquelas resultantes do procedimento com a variação de um parâmetro de cada vez. O erro normalizado foi calculado, a fim de avaliar a equivalência estatística das medições de volume. Dentre os parâmetros estudados, o treinamento do manipulador e a inclinação da micropipeta foram os que apresentaram maior variação nos resultados de volume. Assim, são estes fatores que devem receber maior destaque durante a formação de técnicos para utilização de micropipetas.
ABSTRACT - Micropipettes are instruments used to measure small volumes of liquids, normally in the order of microliters. Given its importance in many economy sectors, like the pharmaceutical, the petrochemical and the medical ones, the calibration of micropipettes is fundamental to ensure reliable results in measurements of small volumes. Standard ISO 8655-6:2002, Piston-operated volumetric apparatus - Part 6: Gravimetric methods for the determination of measurement error, defines the gravimetric method as the method of choice to be applied when piston-operated instruments are being used, among which air displacement micropipettes are included. Therefore, the use of the methodology described under this standard was hereby named "standardized methodology". While using micropipettes, it is common to observe many procedure deviations from the standardized methodology. These errors can lead to inaccurate volume results. In this study, we have quantified the effects of common procedure errors in volume measurement results using air displacement micropipettes with respect to the standardized methodology. The results of this study will show the parameters which most influence volume measurement results in order to improve technical training for usage and calibration of micropipettes. By applying the procedure outlined in the standardized methodology, seven commercial air displacement micropipettes were tested. The volume chosen to be studied was 100 µL, and eleven repetitions for each measurement were carried out. Firstly, each instrument was evaluated only at the 100 µL nominal volume following the standard methodology. After this, while changing one parameter in the methodology, the instrument once again went through a measurement at 100 µL. The volume results and the respective measurement uncertainties were compared. The study was divided in two parts. In the first one, only two micropipettes of different brands were used for analyzing the following parameters: tip immersion depth when aspirating the test liquid, micropipette inclination during aspiration of fluid, the influence of using cloth gloves by the technician, the influence of water evaporation during the measurement, and the influence of measurement results performed with technicians with different training skills. After the analyses of the volume measurement results of the first part of the study, which identified the most significant parameters, the second step was performed with six micropipettes of five different manufacturers. The parameters studied in the second part were: micropipette inclination during aspiration of test fluid, the use of cloth gloves by the technician during the measurement, evaluation of measurement results performed by technicians with different training skills, and the use of the humidity saturation system cuvette without the other components of the system. The results presented compare measurements obtained by the standardized methodology with those obtained from the variation of each parameter mentioned above. The standardized error was calculated to evaluate the statistical equivalence of the measured volumes. Among the parameters studied, the technician training skill and the micropipette inclination showed the greatest variation in volume results. For this reason, these factors should be emphasized during the technician training for manipulation of micropipettes.
Appears in Collections:Metrologia científica e aplicada: Produção Científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_Sampaio.pdf2.65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.